quinta-feira, 28 de agosto de 2014

Arthur e os 6 anos...

Este é um post de mãe. Daqueles que a gente faz para "corujar" mesmo. Faz tempo que eu queria escrever, registrar sobre os 6 anos do Arthur até agora, mas sempre ia adiando. E então decidi fazê-lo agora, pois na minha intenção de registrar as coisas, alguns momentos podem ser perdidos nessa "enrolação". Quem já é mãe de um filho/filha nessa idade e me lê nesse momento vai entender o que eu estou falando. E quem ainda não é, se prepare, pois isso eu afirmo com sorriso no rosto: Gente, é uma delícia quando seu filhote chega nessa fase!


Já passaram as birras, a comunicação é melhor, portanto não os subestimem, pois eles entendem o que a gente fala sim, perdem o seu 1° dentinho, eles estão curiosos, questionadores, vorazes por aprender, saber, eles vão para o 1° ano, já falam sobre matemática, estão "metidos" á falar inglês, contam histórias engraçadas sobre a hora do recreio e soletram... ah, como eles adoram soletrar. Eles ficam meio "viciados" nessa brincadeira. Basta um anúncio, um outdoor, uma cartaz, qualquer coisa, lá vai Arthur soletrando. E eu? Eu acho L-I-N-D-O.

Quando aprendem uma expressão nova, já vão logo atribuindo ao seu vocabulário. "Isso acabou com o meu dia" é a mais recente do Arthur. E as perguntas espontâneas são as melhores do "pacote". Já quis saber por onde ele tinha nascido. Uma dessas perguntas rendeu uma historinha. No outro dia, durante o almoço, ele me perguntou: "Mãe, quando a gente fica velhinho e morre, vamos lá com o Papai do Céu e depois começa tudo de novo?"

Puxa vida, você está lá, mastigando a sua carne de panela e filho surpreende você com questões sobre vida e morte!!!

Então marido e eu, usamos esta oportunidade para levá-lo á Missa, em um Domingo de manhã, para ele fazer essa importante pergunta para o Padre aqui da nossa Paróquia. Apesar de sermos católicos, não vamos á igreja com frequência, mas essa iniciativa seria um ótimo jeito de começar a envolvê-lo com a sua própria fé. O Padre daqui é super receptivo, todos gostam da missa que ele celebra. Nos recebeu e conversou com o Arthur com toda calma ao final da Missa. Foi um momento importante para ele. E agora estamos levando ele á Missa todos os Domingos.

Mas nem tudo é sempre lindo assim. Arthur é um menino muito emotivo. Chora com facilidade, quando se magoa, se magoa de verdade. Queria muito que ele não se importasse tanto com tudo. Tem crises de ciúme do irmão. Gosta de tecnologia até demais. Quando pressionado para resolver uma situação, mesmo cotidiana, ele meio que "congela". E vou confessar, ás vezes, nós dois "batemos cabeça" porque Arthur, apesar de ser a cara do pai, ele tem a personalidade da mãe. Por isso ele nos questiona bastante, é inquieto, quer sempre fazer do seu jeito e tem uma teimosia digna de testar todos os nossos limites! Para coisas cotidianas como hora do banho, de almoçar, ele é muito obediente, mas em outras questões, nos dá sim, uma canseira! Nossa relação é muito forte, pois estamos juntos, o tempo todo desde quando ele nasceu, pois eu parei de trabalhar para ficar com ele e nunca mais voltei.

Mas tudo isso, faz parte de sua criatividade, da personalidade dele. Prefiro ter que barrar os seus instintos, do que empurrá-los, entende o que eu digo? Portanto, mesmo dando uma canseira na gente, eu gosto que ele seja assim, que não se acomode.

Eu poderia passar o dia falando dele, porque pra mim ele é um menino muito especial e quem o conhece sabe do que eu estou falando. Ele é falante, extremamente simpático mesmo com desconhecidos, memoriza canções rapidamente, apaixonado por livros, é bom em fotografar, é aficionado em vídeo-game, ainda não bebe refrigerante, gosta de desenhos antigos como Manda-Chuva e A Pantera Cor de Rosa e uma coisa linda, é que Arthur é livre de qualquer preconceito. Vou dizer uma situação que define bem o que quero dizer...

Na sala dele, tem uma menina ruiva. Das meninas, esta é a amiguinha que ele mais gosta, sempre fala dela. Um dia a mãe de outro aluno, me disse que ela estava sofrendo bullying das outras meninas. Piadinhas sobre o seu cabelo vermelho. Arthur nunca comentou nada disso comigo. Uma noite antes de dormir fui perguntar para ele o que estava acontecendo com a tal amiguinha. Ele não soube responder, mas disse que uma outra menina á fazia chorar ás vezes. Quando perguntei o motivo, ele sinceramente ainda não sabia me responder. Então eu entendi, que o que os outros viam, ele simplesmente não vê. Não vê cor do cabelo, ele só vê a menina que ele mais gosta da classe. Pra mim, estava mais que respondido 

Ai que esse post está ficando longo demais...

terça-feira, 19 de agosto de 2014

Torta de Banana...

Não sou muito de me aventurar na cozinha, mas fazer doces e sobremesas, é algo que eu gosto muito de experimentar. Tudo simples, mas feito com amor, e esse, depois do açúcar, sendo bem piegas, ah... é o ingrediente essencial 

Uma vez eu me aventurei numa torta de banana e foi um fiasco! Não pela receita, pois era bem fácil. Foi no meu preparo mesmo que algo desandou. Não tentei de novo. Daí minha mãe me deu algumas bananas na semana passada e quando olhei algumas estavam bem maduras.

Fui para a internet e garimpei receitas diversas, mas essa, sem liquidificador ou batedeira, foi a escolhida. E ficou tão fotogênica que eu me "empolguei" com as fotos. Sorry...


Ingredientes:

2 xícaras de farinha de trigo
2 xícaras de açúcar
2 ovos
2 colheres de fermento em pó
1 colher bem cheia de margarina
1 copo de leite
6 bananas picadas
canela em pó á vontade

Primeiro junte em uma vasilha a farinha, o açúcar e o fermento formando uma farofa. Misture tudo e reserve.

Em outra vasilha, derreta a margarina para não empelotar (eu derreti no microondas), e misture bem com o leite e os ovos. E reserve.

Unte uma forma com margarina (e farinha se quiser) e coloque uma camada da farofa, assente bem e coloque as bananas por cima. Faça mais uma camada com a farofa. Aliás, você pode fazer quantas camadas quiser, depende da sua forma. Eu polvilhei a canela em pó por cima das bananas.

Por fim, jogue a mistura líquida do leite, ovos e margarina por cima de tudo, cobrindo sem misturar e leve ao forno por 40 minutos.

Fácil, né?







Geralmente eu faço uma receita com calma, bagunçando tudo e se der certo, eu então faço de novo, bem bonitinha para o blog, mas dessa vez a primeira vez deu super certo, tanto o resultado da torta, como ir fotografando o passo a passo. Só levou o dobro de tempo para fazer tudo, hahaha.

Quem tiver alguma dúvida da receita, pode perguntar aqui pra mim, ok?

Ótima semana,
Bjs


quinta-feira, 14 de agosto de 2014

Um vasinho improvisado...

Do lado do microondas, tem um espacinho "vago". Esse espacinho me incomodava, parecia que faltava alguma coisa lá. Peguei uma mini jarra que tenho, uma fofura que encontrei numa dessas lojinhas da china, sabe? Resolvi colocar flores nela e ela coube direitinho naquele espaço, antes tão sem graça.

Vou sempre mudando as flores, principalmente as que vou colhendo por aí. Flores do matinho são as mais bem vindas. Desta vez, eu peguei no quintal da minha sogra. É uma planta linda que dá mini buquês, mas infelizmente, quando fui fotografar, algumas flores já estavam murchando. Não sei o nome dessa planta, se alguém souber pode dizer aqui pra mim.

Agora, se der desânimo ao lavar a louça, é só olhar para o lado, rs.





Espaço vago preenchido com sucesso 

Bjs